Instagram Soundcloud Facebook YouTube Official Channel Reverbnation Myspace Twitter
news
bios
discos
lyrics
mp3
reviews
live
media
contacts
Martiria Official Website Martiria Official Website Martiria Official Website Martiria Official Website Martiria Official Website
HomePage Write us Contatta il WebMaster
Save the Children Italia Onlus
Breaking News Martiria 2022
Free Mp3s download
>>CLICK HERE <<

Shortly about us

Martiria is an epic/doom metal rock band formed back in the '80s and re-founded (after a long pause) in 2002. Seven album published (last one R-Evolution, with ex Black Sabbath Vinny Appice - 2014).

The band was formed back in the '80s. At the beginning the band was very much oriented towards Doom/Metal sounds such as: early Candlemass and Black Sabbath. After releasing just a few demos and featuring various musicians, in 1998 the members of the group decide to take a break for a while in order to experience different projects. (continue)

News and LIVE shows

Uh... it seems we have none planned right now.

Why don't you invite is in your local club?

mrc@martiria.com
(Booking info & more)

 RAILHAMMER PICKUPS

Info & booking
info@martiria.com

Reviews & Interviews
Reviews / Interviews

Album: Timeless ( 2022 )

REVIEW

Date: April '23
Author: Xolotl
Vote: n/a
Language: Portuguise
Website: https://culturaempeso.com
Direct link: click here

Sua particularidade começa com um Vinny Appice (bateria, ex Black Sabbath, Dio)
que testemunhou o nascimento e a evolução do heavy metal e do metal épico; Não
diminuindo a contribuição para a letra que aborda temas mais oníricos e fantasiosos,
recorrendo de lendas de guerra a espaços filosóficos.
Isso nos liga a Marco R. Capelli, o poeta responsável pela letra de Martiria.
Mais do que focar no currículo dos integrantes, é atentar para o
intenção e criação destes.


Em Timeless (2022), eles dão King of Shadows como abertura, letra dada por
Menarini-Capelli e inspirado na lenda de Orfeu. Uma piscadela perfeita para ele
retorno da banda após várias décadas em hiato. É a viagem para
submundo onde, com sua música, conquista as feras e cativa as divindades em
procurando sua amada Eurídice. Mostra-se um caminho entre mitos e lendas onde, se
o herói, seu amor não é “verdadeiro“, ou seja, ele não está disposto a morrer por isso, seria punido pelas divindades. Tema presente nos Desentendimentos onde eles se materializam parte de sua memória social como uma banda italiana piscando para a figura de Jesus e o traição de judas, novamente, liderando o conflito de salvação e morte
divino, tudo a partir de alguns riffs que nos convidam à batalha e confronto e alguns
acompanhamentos e coros que parecem divinos, sempre guardando um lugar
etéreo, como eco.

Em outro tom, a banda nos leva a um sentimento atmosférico e mais terreno com
instrumentos acústicos e de sopro, como em Idos de marcha; deseja “red de rationem
(Em breve haverá um confronto)“, acompanhando César em um símile à “Crônica
de uma morte anunciada” de Gabriel García Márques, onde a inevitável reivindicação
de sua alma devido à morte é o foco principal da peça e ele caminha envolto no
melodia que funciona como os sussurros da ameaça que se segue.

Outra coisa que merece destaque é a que recorre a discursos históricos como em
Tsushima onde remonta à batalha travada entre 24 e 25 de maio de 1905, onde o
A frota russa superava a japonesa, no entanto, a frota russa estava quase exterminados pelos japoneses, sob o comando do almirante Togo Heihachir?. O Soldados russos que foram feitos prisioneiros de guerra, foram abandonados pelo Exército Japonês ao longo da Ferrovia Transiberiana, saindo de Moscou seis mil quilômetros de distância. O fato de ocupar este espaço para narrar verdades
alienígena e sem perder a lendária teatralidade. Toda essa cena com a trilha sonora ligada
Doom, com a sensação de estar atento e alerta, pois a realidade imediata é
tortuoso e incerto, por isso é melhor não perder o foco para sobreviver.



Na minha opinião, a música com o riff mais cantável; É pesado e conciso.
como golpes no chão. Estou falando de Burn, Baby Burn; saindo da anedota
onde Nero incendeia os bairros antigos de Roma. A sensação de euforia,
adrenalina, êxtase, o poder de manipulação e destruição de algo ou alguém é
o que Nero gostou quando viu seu povo queimar com capricho e perversão; aquela
sentimento de poder é o que eu percebo é insinuado na música.
No comentário final, ficou um belo detalhe de fechar o álbum com Spiral Architect,
lembrando que Vinny Appice tocou com Black Sabbath, então você pode imaginar o
emoção e nostalgia por parte dos integrantes ao tocar um tema que transcendeu
tempo e geografia desde 1973.

Em resumo, ressaltando que a playlist proposta é composta por trechos de
vários álbuns da banda, dá-lhe um toque de memória e nostalgia se for que acompanha o desenvolvimento da banda ao longo de seu projeto. Em outro sentido, sua atração principal, me pareceu, sua proposta dada a temática épica que inicia a letra do olhar da poesia; Eu até gosto da ideia de brincar de quê, mais que poeta é um menestrel que narra e tem voz, ora do lugar de observador ora da primeira pessoa.

© Xolotl

 

Page exposures
74

Site total exposures: 3131254
Web developement Marco R. Capelli - marco_roberto_capelli@yahoo.com
© 2013- All rights reserved
 
Twitter Facebook YouTube Official Channel